QUANTOS JÁ PASSARAM POR AQUI

contador de visitantes

sábado, 2 de junho de 2012

SANTÍSSIMA TRINDADE


video

SANTÍSSIMA TRINDADELetra e Música: Pe. Zezinho SCJ
Senhor e Criador que és nosso DeusVem inspirar estes filhos teusEm nossos corações derrama tua pazE um povo renovado ao mundo mostrarás
Sentimos que tu és a nossa luzFonte do amor, fogo abrasadorPor isso é que ao rezar em nome de Jesus
Pedimos nesta hora os dons do teu amorSe temos algum bem, virtude ou domnão vem de nós, vem do teu favorPois que sem ti ninguémNinguém pode ser bomSó tu podes criar a vida interior
Infunde, pois agora em todos nósQue como irmãos vamos refletirA luz do teu saber e a força do quererA fim de que possamos juntos construir
E juntos cantaremos sem cessarCantos de amor para te exaltarÉs Pai, és Filho e és Espírito de paz
Por isso em nossa mente Tu sempre reinarásAmém, aleluia
Extraída do LP "Verdades que eu Rezo e Canto"P. 1977 - Paulinas-COMEP

quarta-feira, 30 de maio de 2012

AZUL DA COR DO MANTO DE MARIA

VÍDEO COM IMAGENS ORIGINAIS DE MINHA AUTORIA FILMADAS EM DIFERENTES MOMENTOS DA ROMARIA:


VÍDEOS DE AUTORIA DOS ÓRGÃOS DE JORNALISMO DA REGIÃO.

Fonte: Portal TCM - TV Cabo Mossoró

Fonte: PORTAL DO SANTUÁRIO DO LIMA

            Confesso que eu meus 20 anos de vida, nunca tinha sentido uma emoção tão grande por parte dos fieis que se reuniram às três e meia da manhã na Praça da Matriz de São José em Mossoró, para tomarem seus carros, ônibus, vans e quaisquer outros transportes. Também aos de outras paróquias e os de outras cidades como Antônio Martins, José da Penha, Assu, Caraúbas e Apodi. Nós da Paróquia demoramos um pouquinho para sair, pois muitos chegaram em cima da hora e alguns deles até chegaram quase na hora de partir os transportes. Ainda buscamos um dos passageiros no bairro Nova Betânia. Ao partirmos, primeiramente um sono bateu, por estarmos ainda pela madrugada, eram ainda quatro e meia da manhã. O sol começou a nascer devagar e humildemente por entre as montanhas da paisagem que se via por entre a vegetação de caatinga das rodovias. Passamos por cidades vizinhas como Governador Dix-Sept Rosado, Caraúbas, Olho D’Água dos Borges e por fim, chegamos a Patu ainda um pouco sonolentos, mas a missão dali a pouco iria nos fazer despertar pra valer. Chegamos na pracinha da Matriz, onde caminhando por uma pequena via, paramos de frente à beleza que era a Matriz que ainda tinha uma torre-relógio, por sinal, funcionando. Atrás da Matriz, a montanha nos dava um toque de paisagem de cinema. No lado de dentro, muitas imagens, muitos motivos para entrar em contemplação, o que mais chamou atenção foi uma imagem de Nossa Senhora das Dores que muitas senhoras diziam ser Nossa Senhora dos Impossíveis. Do lado de fora, rezávamos o Ofício de Nossa Senhora que consta no livrinho-manual do Terço. Depois, todas as caravanas saíram em caminhada rumo ao pé da montanha. Algumas pessoas de idade mais avançada, impossibilitados de andar e eu, por exemplo, estava com um problema em um dos dedos do pé, segui até o pé da montanha na van. Quando descemos do carro, a procissão ainda estava longe. Então, juntamente com Dona Joana Dar’c, uma das muitas amigas da minha avó (também Joana), subimos rezando um Terço da Misericórdia chegarmos ao pórtico da entrada da passarela. Quando começamos a subir, eu ia na frente dela, mas sempre perto. A partr de certo momento, ela rapidamente ficou para trás, pois fechei os olhos e comecei a rezar, sinal pelo qual não estava pedindo forças, mas agradecendo cada passo (que aliás, é isso que devemos fazer, já que estamos ali pra pagar votos ou promessas, não precisamos mais pedir, mas agradecer cada passo dado). Ao passar da “ponte” que fica ao lado de uma pequena fonte muito bonita, comecei a escutar canções ecoando nos ventos, olhei para trás e vi um tapete azul de homens cantando e rezando a Nossa Senhora. Peguei a filmadora e abri as filmagens com chave de ouro. Chegando lá em cima, ajoelhei-me e agradeci a Deus pela subida. Voltei ao portal de pedra e fiquei sentado esperando a procissão. Depois de cinco minutos, eis que vinha humildemente a mãezinha em seu quadro amparada por três escudeiros. Alguns segundos depois, se iniciou uma procissão que durou quase quarenta minutos de gente chegando ao portal (sem exageros). Grande era a fé daquele povo. Muitos por motivo de saúde subiram nos táxis e nas motos que circulavam para cima e para baixo. Quando todos chegaram, deu-se um intervalo e começaram-se os ensaios do som no palco para o show. Comecei minha visita anual ao Santuário começando pelas feirinhas, onde pude adquirir duas imagens que precisava desde o Renascer em fevereiro, que me foram indicadas a comprar, um Sagrado Coração de Jesus e uma Nossa Senhora das Graças (esta imagem, quem leu o artigo sobre o RENASCER em Fevereiro vai entender), ambas a um preço bem acessível e a um bom tamanho, quase trinta e cinco centímetros cada uma. Por fim, passei na Livraria do santuário, onde adquiri alguns produtos para acentuar mais minha fé e na Pousada da Sagrada Família para comprar as senhas do almoço. Ao me dirigir para a quadra principal, havia começado a missa. Sentei-me no parapeito do paredão lateral esquerdo que possuía bancos de pedra lavrada. A missa correu como de costume. Logo depois iniciou-se o show, em dado momento dele tive que correr atrás do almoço, pois já tinha as senhas. A comida estava maravilhosamente preparada e todos os que comeram se fartaram. Ao terminar de almoçar, fui procurar Dom Mariano, que havia acabado também de almoçar e estava rezando na capela de baixo. Ao terminar, pedi que abençoasse as imagens e alguns livros devocionais que adquiri. Todos os anos tenho a honra de ter Dom Mariano sempre ao meu lado, no ano passado, ele se sentou calma e simplesmente ao meu lado na recitação do terço, este ano, eu estava de frente a ele e quando ele saiu, não se negou a abençoar não só as imagens e os objetos, mas pôs a mão em minha cabeça e disse “E a você também”. Aquilo me deu muito mais vontade de agradecer a Deus, pois todos os anos, nossos caminhos se cruzam, mesmo que de uma maneira inesperada, sempre fora das vistas alheias, mas nos encontramos. Por fim, foi realizado o sorteio da televisão destinada a esse fim cujo ganhador residia ali mesmo em Patu. Na hora da descida, Dona Joana, vendo que não iria aguentar, pegou com uma ou outra dificuldade um táxi para voltar e me levou junto, já que estava com dois pacotes e uma bolsa. Chegando lá em baixo, caminhamos até a van e partimos de volta a Mossoró, era quase uma hora da tarde. Saímos às uma e quinze de Patu, rumo a Caraúbas, pois alguns não haviam almoçado. Saímos de Caraúbas de duas e meia, chegando a Mossoró de vinte para as quatro da tarde. Esta foi uma romaria a ser lembrada. Rezemos pelas próximas para que sejam maiores e tragam mais bênçãos a cada um de nós. Deixo um vídeo para melhor ilustrar as cenas que vi nesta caminhada. Amém.

30/05/2012, dia de Santa Joana Dar’c

Pedro Augusto de Queiroz
Bacharelando do 5° Período de Ciências Sociais da UERN